14 de Agosto de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » BRASIL

Cometa 'Neowise' poderá ser visto no interior paulista hoje

Para ver o cometa, o morador do interior paulista deve olhar para o horizonte noroeste logo após o pôr do sol, quando o céu começar a ficar escuro

O cometa "Neowise" poderá ser observado no estado de São Paulo nesta quinta-feira (23). Apesar de não ser visto com tanta facilidade como no norte e nordeste, um professor de astronomia de Bauru (SP) deu dicas de como observar melhor o fenômeno no interior paulista.

De acordo com o coordenador do Observatório de Astronomia da Unesp de Bauru, o professor Rodolfo Langhi, os moradores da região norte e nordeste foram privilegiados e o cometa vai aparecer de uma maneira diferente da que apareceu no hemisfério norte do planeta.

"As fotos obtidas lá mostram realmente um show do Neowise. Porém, para nós aqui do hemisfério Sul, ainda mais aqui na região sul e sudeste, ele não fará o mesmo espetáculo, pois já está se afastando do Sol e da Terra. A cada dia que passa ele fica mais longe e menos brilhante para nós", explica o pesquisador.

Para ver o cometa, o morador do interior paulista deve olhar para o horizonte noroeste logo após o pôr do sol, quando o céu começar a ficar escuro. O ideal é observar de um ponto alto, em um local sem prédios ou árvores. Segundo Rodolfo, o cometa também é visto mais facilmente longe das luzes da cidade.

Para encontrar o cometa de um jeito mais fácil, ainda é possível estudar a localização dele em comparação com as estrelas. A cada dia que passa, segundo o professor de astronomia, o fenômeno fica em uma posição diferente do céu. Para localizá-lo mais fácil, é preciso encontrar a constelação de Leão.



Os cometas são corpos formados por gelo, rochas e materiais orgânicos, e vêm dos confins do sistema solar: o cinturão de Kuiper, ou talvez ainda mais longe, da nuvem de Oort, que são ambas concentrações de pequenos corpos celestes.

O Neowise é um dos poucos cometas do século XXI que podem ser vistos a olho nu, segundo a Nasa. Veja como observá-lo em outras partes do país.

G1
+ VEJA TAMBÉM