06 de Março de 2021
20º/30º
Notícias - Educação

Pediatra de Assis acredita na importância da volta às aulas para crianças

O debate sobre mandar ou não as crianças para as escolas tomaram conta do início de 2021

A pandemia da COVID-19 parou o mundo e fez com que todas as áreas da sociedade fossem modificadas, como por exemplo, eventos cancelados, escritórios fechados e escolas com aulas no formato EAD. Após mais de um ano desde o início dos casos, já se vê uma retomada das atividades econômicas, desde que sejam tomados todos cuidados necessários para evitar o contágio entre pessoas. Porém, existe um setor que enfrenta uma série de críticas em sua retomada, a educação.

Levar as crianças para o primeiro dia de aula, ação que antes da pandemia era tão comum, atualmente se tornou um grande debate. Muitos professores são contra a volta presencial, por outro lado, um grande número de pais querem que seus filhos voltem para o ambiente escolar. O Governo do Estado de São Paulo autorizou a volta das aulas presenciais, com medidas preventivas, como o uso de máscaras, rodízio de alunos e salas com 35% de ocupação.

Em Assis, a maioria dos colégios particulares e estaduais já retornaram com suas aulas presenciais, inclusive as de Ensino Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.
Enquanto isso, a Rede Municipal de Ensino se prepara para a volta no mês de março. Segundo o médico pediatra Dr. Marcos Bastos, é importante que os pais se sintam seguros em mandar seus filhos para a escola, conhecer o local e ver como estão as medidas de prevenção.

"O aconselhamento é que os pais vão até o local e vejam se os critérios estão certos. Se mando meu filho, tenho que estar ciente que eu esteja bem e ele também. Em casos de sintomas, não devo mandar meu filho para a escola, pelo bem do convívio social", afirmou o médico.



Segundo Marcos Bastos, o ano de 2020 foi muito prejudicial para o desenvolvimento das crianças e é importante que elas voltem ao ambiente escolar no ano de 2021. Para ele, as salas de aula são, muitas vezes, ambientes mais seguros que as próprias casas, uma vez que se tem um controle total de todas as ações.

"Eu acredito que a sala de aula será um ambiente mais seguro que nossa própria casa. Falo inclusive pela minha, que às vezes cometemos falhas que nem percebemos. As chances de um aluno ou professor se contaminar dentro do ambiente escolar é menor do que no convívio social fora da escola", disse o pediatra.

O debate deve continuar até que os números da COVID comecem a ter uma queda considerável e mais pais e professores se sintam mais seguros. Enquanto isso, o que se sabe é que as escolas que voltarem no modelo presencial devem seguir todas as ordens impostas pelos profissionais de saúde.
Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM