17 de Junho de 2021
20º/30º
Notícias - Saúde

Pacientes devem escolher cirurgião plástico que melhor atenda as suas necessidades

Alerta é do médico Ricardo Estefani


O cirurgião plástico Dr. Ricardo Estefani, especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que possui residência em Cirurgia Geral e do Trauma pela FAMEMA - Faculdade de Medicina de Marília, mestre em Saúde e Envelhecimento pela FAMEMA - Faculdade de Medicina de Marília, doutorando pela Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, professor do Curso de Medicina da FEMA e médico cirurgião plástico da Unimed de Assis, alerta para a importância de se escolher um cirurgião plástico qualificado e que atenda as necessidades dos pacientes.

"A Organização Mundial de Saúde entende que Saúde é o bem estar físico, mental e social. No Brasil, a especialidade médica de cirurgia plástica foi reconhecida em 1948 com a fundação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), estabelecendo critérios de formação e fiscalização de nossa profissão", explica.

divulgação - Dr. Ricardo Estefani, cirurgião plástico
Dr. Ricardo Estefani, cirurgião plástico


Ele conta que atualmente, sob a tutela da Associação Médica Brasileira (AMB) e Ministério da Educação (MEC) para se formar um Cirurgião Plástico, moral e legalmente capaz de exercer sua profissão, deve-se ao médico: graduar-se em Medicina em 6 anos, realizar residência de Cirurgia Geral em 2 anos, residência em Cirurgia Plástica em 3 anos, validar seus diplomas no Conselho Regional de Medicina e filiar-se à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica tendo sido aprovado em exame de suficiência (Prova de Título) para ser considerado um especialista na área. Desta maneira, em 11 anos, forma-se o Cirurgião Plástico brasileiro.

"Para realizar os procedimentos concernantes à Cirurgia Plástica, o paciente deve procurar este profissional. A procura por outro profissional que se auto-intitula ou se aventura nos procedimentos desta especialidade, que não são específicos da sua área, médicos ou profissionais de outras áreas da saúde, não é recomendada", lembra.

"Compra-se uma roupa pelo seu preço? Se cara, denota melhor qualidade e barata pior ? Ou compra-se a que nos vestiu melhor porque é feita com material de boa procedência, melhor acabamento e por profissional qualificado? O paciente deve escolher o cirurgião plástico que melhor atenda às suas necessidades, que se atente ao conceito de saúde, seja técnico, porém humano, saiba seu limites e decida por procedimentos estabelecidos e respaldados pela literatura científica atualizada", ressalta.



O médico lembra ainda que cabe a este profissional discutir prós e contras das cirurgias ou procedimentos com o paciente, conferindo a ele participar das escolhas que fará para seu corpo e sua mente. Deseja-se ainda, que este profissional não separe a estética da restauração, vertentes que caminham juntas e formam a práxis do cirurgião plástico.

"Vislumbra-se que o médico escolheu sua profissão por vocação e a especialidade foi optada em determinado momento de sua carreira. Portanto, espera-se a sinceridade destes profissionais e a reflexão dos pacientes sobre os limites da profissão, atrelando as expectativas ao que é possível e saudável, com menor risco, frente a imagem corporal desejada por quem procura o Cirurgião Plástico. Acredite, prezado leitor, a auto-estima e a saúde vão muito além do que é puramente externo", conclui.

Serviço:
Dr. Ricardo Estefani
Consultório: Instituto Demian, Rua: Dra. Ana Barbosa, 1086
Telefone (18) 3323 7037
Instagram: https://www.instagram.com/ricardo.estefani.1/
Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM