15 de Outubro de 2021
20º/30º
Notícias - Local

Besouros incomodam moradores do Bairro Assis III

Especialista da UNESP de Assis explica a importância destes insetos

Os besouros 'rola-bosta', cuja presença tem sido intensa no Bairro Assis III e incomodam moradores, costumam aparecer a noite nas cidades para se acasalar. A incidência destes insetos no meio urbano incomoda muitas pessoas que possuem asco e repulsa.

Estes insetos aparecem na primavera, período em que as temperaturas começam a aumentar.

A moradora do Bairro Assis III, Érika Ricardo Vilela, está desesperada com a grande quantidade de besouros em sua casa. De acordo com ela, os escaravelhos entram por toda a casa.

"Estou desesperada. Os moradores daqui não sabem a quem recorrer. Com o calor que está fazendo não é possível abrir janelas e portas, pois estes insetos são nojentos. Não sei se são transmissores de doenças. Estamos desesperados! É só anoitecer que os besouros já aparecem", reclama.

A equipe de reportagem do AssisCity.com entrou em contato com o professor doutor em Zoologia da Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Assis, Sérgio Stampar, para explicar o hábito dos besouros de procurarem as cidades à noite. O especialista esclarece que estes insetos não são transmissores de doenças.

De acordo com o especialista, os besouros possuem hábitos noturnos e procuram as cidades para se reproduzirem porque são locais mais quentes e possuem estruturas mais firmes para que os insetos ponham os ovos.

"Na zona rural, eles costumam colocar os ovos em fezes de animais, por isso popularmente são chamados de besouros 'rola- bosta'. Costumam aparecer na primavera, quando as temperaturas começam a aumentar, período propício para sua reprodução. A grande presença destes insetos não causa desequilíbrios na natureza e o ciclo de reprodução é em torno de 15 a 20 dias", explica.

Segundo o zoólogo, os besouros não transmitem doença alguma e o principal problema é o incômodo que gera às pessoas que têm que lidar com a presença destes insetos.

"O principal problema é que eles chegam em massa, mas após o acasalamento morrem. Por isso se vê um monte de besouros mortos ao amanhecer. Dessa forma, os ovos colocados serão os futuros besouros que vão incomodar na primavera do ano seguinte, pois o ciclo de vida deles é de mais ou menos um ano", esclarece.

O professor da UNESP orienta os munícipes que se sentem incomodados com a presença deste inseto a colocarem telas nas janelas e portas das residências para evitar a entrada dos mesmos.

O popular besouro 'rola-bosta' possui grande importância para o solo, pois evita a perda de nitrogênio, funcionando assim como adubo, pois quando diminui a liberação de amônia, aumenta a aeração do solo. Isso se deve ao seu ciclo de vida, através do qual cava galerias e deposita nelas as fezes dos mamíferos, principalmente dos bovinos, contribuindo com os pecuaristas, pois é o principal agente controlador da 'mosca-de-chifre' e de outros ectoparasitas, através do enterro das fezes frescas, as quais impedem a eclosão dos ovos. Eles quebram as fases de desenvolvimento dos parasitas gastrointestinais nos bovinos, auxiliando no controle das verminoses e contribuem na limpeza das pastagens, evitando, assim, o sub-aproveitamento das pastagens porque os bois não se alimentam em áreas que defecam.


Doutor em Zoologia da Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Assis, Sérgio Stampar

Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM